Processamento Industrial de Castanha de Cajú

PROCESSAMENTO INDUSTRIAL DE CASTANHA DE CAJU(Anacardium occidentale, L.), PARA MICRO E PEQUENA ESCALAS 

PLANO DE CURSO
Local : Centro de Treinamento de Araruna / PB
Período : 18 – 19 – 20 / 11 / 2004
Carga horária : 24 horas teórico – práticas

Conteúdo Programático

I- Introdução
Produção brasileira de castanha de caju Importância Econômica do caju
Constituição Física do caju
Constituição Física da castanha
Características Físicas da castanha
Composição Química da castanha
Composição química da amêndoa
Produtos Imediatos da castanha

Aspectos Tecnológicos
Fluxograma do Processamento Industrial
Controle de Recepção da castanha :
- amostragem
- classificação (quanto ao peso e quanto à qualidade)
- pesagem
- classificação quanto ao tamanho
Processamento piloto – industrial
Controle da produção : classificação da amêndoa

Economia de Produção
- Custo de Fabricação (CF)
- Ponto de Equilíbrio (PE)
- Relação Benefício / Custo (RBC)
- Economia de Escala
- Aspectos sócio - econômicos


CASTANHA DE CAJU (Anacardium occidentale, L.)

DADOS GERAIS ( ano de 1997) :
- Área Ocupada no Nordeste/BR - 700.000 hectares
- Área Improdutiva - 210.000 hectares

- Causas da improdutividade : - idade das fruteiras,
- tratos culturais
- variedades inadequadas

Movimentação Financeira Anual : U$ 130.000.000,00

Indústria Beneficiadora de Castanha :
Indices de Quebra » 40 a 45 %
Causas : - mecanização inadequada
- pressão para maximização da produtividade da mão de obra

Perda de Valor da Produção no Mercado Internacional » 27 %

Prejuízo anual estimado » U$ 35.100.000,00


Minifábricas Beneficiadoras de Castanha :
Indices de Quebra » 15 %
Causa – maior participação da mão de obra

Prejuízo anual estimado » U$ 19.500.000,00

Redução do Prejuízo » U$ 15.600.000,00
ou
R$ 45.240.000,00

PRODUÇÃO BRASILEIRA DE CASTANHA DE CAJU EM TONELADAS, SAFRAS 2002/2003 – 2003/2004 – 2004/2005 (PREVISÃO DO IBGE)

 

Obs.:

a) quase 50% da produção concentra-se no Ceará;

b) a Paraíba participa apenas com 4,77% , mesmo assim à frente da Bahia, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e
Maranhão

c) o Maranhão, segundo o CNPAT/EMBRAPA, Estado com melhor vocação para o cultivo do cajueiro, é o de
menor participação na produção Regional de castanha de caju;

d) a safra 2002/2003 movimentou R$ 200.930.000,00.

Exportações Brasileiras de Amêndoa de Castanha de Caju, segundo AliceWeb – Elab. : Conab, através de Petrarca S. de Deus.

Observações

a) períodos de janeiro a julho dos anos citados, cujos valores são : 2002 Þ 17.189,1 ton. ; 2003 Þ 22.829,1 ton. ;
2004 Þ 27.753,9 ton ;

b) nas abcissas : 1 Þ 2002 ; 2 Þ 2003 ; 3 Þ 2004 ;

c) exportações crescentes Þ tendência de crescimento na procura por castanha;

Observações
a)Valores movimentados : 2002 / U$ 193.880.350,00
2003 / U$ 262.664.260,00
2004 / U$ 340.426.800,00
Valores das Exportações Brasileiras nos meses de janeiro a agostodos Exercícios de (1) 2002 ; (2) 2003 ; (3) 2004

 

Distribuição de Renda na Cadeia Produtiva do Caju(Fonte:EMBRAPA/CNPAT)

 

Observações
a) abcissa : 1 Þ setor agrícola; 2 Þ setor industrial; 3 Þ mercado
b) agroindústria pode agregar valor ao setor agrícola
c) concorrentes internacionais : India e Moçambique ambos com maior participação nomercado internacional, que o Brasil

Beneficiamento da castanha Þ Grande participação de mão de obra

Grande participação de mão de obra Þ alto custo de fabricação

India e Moçambique Þ mão de obra de baixíssimo custo

Extração de amêndoa pelo produtor Þ reduz custo de fabricação e agrega valor à renda do produtor

Sistema de Exploração Sugerido para o NE/BR

- Unidades Familiares(UF) : Colheita do Caju
Separação da castanha
Secagem da castanha
Separação da amêndoa bruta

Estoque da amêndoa bruta
5,4 Kg de castanha Þ 1 Kg de amêndoa bruta sendo,
65% de primeira
20% de segunda
15% de terceira
Decorticação Þ 32,4 Kg de castanha/cortador. dia Þ 6 Kg de amêndoa bruta/dia
Valor médio da amêndoa bruta = R$ 5,00/Kg
Valor mensal (20 dias úteis) = R$ 600,00
No de pessoas envolvidas = 2
Cozinhador cap. 15 Kg/carga Þ 30 Kg/3 hs
Insumos p/ 1 semana : 2 litros de óleo de mamona
4 litros de álcool
Consumo mensal de castanha = 648 Kg
Estoque anual(10 meses) = 6.480 » 7.000 Kg
Produção mensal de amêndoa bruta = 120 Kg
Produção anual de amêndoa bruta = 1.200 Kg

Valor diário da produção = R$ 30,00

Indices Técnicos a serem alcançados :

- Unidade Central(UC) : Recepção da amêndoa bruta
Secagem da amêndoa bruta
Despeliculagem da amêndoa bruta
Umidificação da amêndoa despeliculada
Classificação da amêndoa
Embalagem da amêndoa ou
Fritura da amêndoa
Salga da amêndoa
Embalagem
Comercialização dos produtos

Aquisição/distribuição de insumos
Indices Técnicos Projetados
Amêndoa bruta classificada :
65% de primeira
20% de segunda
15% de terceira
amêndoa bruta > 85% inteiras
Quebra de amêndoa no processo – máx. 5%
Obs. – a tecnologia a ser adotada na “ UC “ e demais índices técnicos serão função da sua escala de produção e consequentemente, do número de “ UFS” a serem atendidas.
Constituição Física do Caju:
castanha 8 %
pedúnculo 92 %

Constituição Física da castanha : casca 72 %
película 3 %
amêndoa 25 %

Características Físicas da castanha (Segundo Trevas)

Produtos Imediatos da castanha de Caju

CASTANHA DESIDRATADA CLASSIFICADA (preço mín. R$0,90/Kg)

AMÊNDOA

Amêndoa Pré – Cozida (semi – elaborado)
Sub – Produtos : amêndoas quebradas
xerém
farinha

Amêndoa Frita (elaborado)
Sub – Produtos : amêndoas quebradas
xerém
farinha
passoca