Você está aqui: Página Inicial > Contents > Notícias > Workshop debate inovações, avanços e C&T da cadeia do cimento

Notícias

Workshop debate inovações, avanços e C&T da cadeia do cimento

“O efeito de Materiais Cimentícios Suplementares nas principais fases ligantes do cimento hidratado” é o tema de palestra que integra o Workshop de Cimento e suas Tecnologias, marcada para o dia 25 deste mês, a partir das 10h, no Auditório do CT.
por publicado: 19/09/2018 10h22 última modificação: 19/09/2018 11h39

A aula será ministrada pelo professor doutor Ian Richardson, docente titular de Materiais do Departamento de Engenharia Civil da Universidade de Leeds, na Inglaterra. Ele é reconhecido como pesquisador da Ciência dos Materiais, especialmente em áreas referentes a avanços na compreensão da microestrutura, química e propriedades de materiais cimentícios e fases relacionadas. A inscrição é gratuita e pode ser feita clicando aqui.

O assessor de Pesquisa do Centro de Tecnologia e coordenador do Laboratório de Tecnologias de Novos Materiais-Tecnom, professor doutor Sandro Marden Torres, acrescenta que entre as principais contribuições do palestrante ao campo dos materiais estão as descobertas relativas à hidratação do Cimento Portland, particularmente com os chamados insumos suplementares, “e seus efeitos na estrutura química do silicato de cálcio hidratado (a cola do cimento)”.

No material de divulgação do Workshop existe uma avaliação histórica da indústria do cimento Portland espalhada pelo mundo. A atividade econômica tem “fortes compromissos com a sustentabilidade”, e por isso vem ampliando em todo o planeta “o uso de combustíveis alternativos e materiais suplementares na produção de cimentos”. Esses materiais procedentes de fontes renováveis e sólidos “com poder calorífico satisfatório agregam valores de impacto econômico e ambientais”.

Conforme o assessor de Pesquisa do CT, professor Sandro Marden, a palestra do doutor Richardson tem a finalidade de “fortalecer conceitos essenciais da química e termodinâmica nas diversas possibilidades” provenientes da utilização dos “combustíveis alternativos e materiais suplementares nos processos de produção de cimento, ampliando subsídios científicos” para a tomada de decisões inerentes “à cadeia produtiva da construção civil”.

Segundo ele, a Paraíba “é um dos maiores polos cimenteiros do Brasil, possuindo uma das fábricas mais modernas do mundo em termos de instalações e equipamentos”. Acrescenta, ainda, que o Tecnom (Laboratório que coordena) tem desenvolvido pesquisas avançadas em ciência e tecnologia para a cadeia do cimento.

.