Você está aqui: Página Inicial > Contents > Menu > Sobre o Curso

Sobre o Curso

por mateus publicado 29/07/2016 11h50, última modificação 26/03/2018 17h41

O Curso Superior de ARQUITETURA E URBANISMO da Universidade Federal da Paraíba tem como objetivo formar profissionais de nível superior com competências e formação que os habilite de forma plena, inovadora e empreendedora para atuar no contexto social, humano e ambiental, em atividades relativas à  concepção e execução de projetos de edifícios, ambientes internos,  paisagismo, patrimônio histórico  e urbanismo. Estes campos de atuação profissional no exercício da arquitetura e urbanismo são definidos a partir das diretrizes curriculares nacionais que dispõem sobre a formação do profissional arquiteto e urbanista. 

 Duração do Curso:

Mínimo 10 semestres / Máximo 15 semestres

Vagas por Semestre: 
Turno Diurno: 40 vagas

Nível do Curso: Graduação 
Titulação Conferida: Arquiteto e Urbanista

Coordenadora: Profa. Cláudia Torres
Vice-Coordenadora: Profa. Isabel Medero
Telefone CCAU :
 (83) 3216-7079
E-mail: ccau@ct.ufpb.br

Chefe de Departamento: Prof. Aristóteles Cordeiro

Vice-Chefe de Departamento: Prof. Estevam Medeiros

Contato do Departamento de Arquitetura e Urbanismo (DAU):  da.ct@gmail.com | Tel +55 (83) 3216 7115

UM POUCO DA HISTÓRIA DO CURSO 

O Curso de Arquitetura e Urbanismo (CAU) foi criado em dezembro de 1974 como apêndice do Curso de Engenharia Civil do Centro de Tecnologia da UFPB, e iniciou suas atividades no primeiro semestre letivo de 1975, tendo como base de funcionamento a estrutura curricular que previa uma duração de no mínimo oito e no máximo doze semestres com 3720 horas de duração.

Criaram-se, nesse mesmo ano, a Coordenação do Curso e o Departamento de Arquitetura.

Iniciou-se a primeira reformulação curricular do curso. O objetivo dessa reformulação era criar um curso de arquitetura independente, eliminando o seu caráter de apêndice do Curso de Engenharia Civil. Baseada em amplas discussões, das quais participaram professores e alunos envolvidos com o curso, essa reforma contava ainda com o apoio da ABEA – Associação Brasileira de Escolas de Arquitetura, que realizava, nesse momento, ações visando a reformulação do currículo mínimo dos cursos de arquitetura do país. 

A nova proposta ampliava a duração do curso para 3840 horas, a serem cursadas em no mínimo 9 e no máximo 13 semestres e se baseava em três eixos de conhecimento: a) projeto e representação gráfica, b) teoria e história da arquitetura e c) tecnologia. As principais mudanças foram propostas visando atender aos novos objetivos do curso - especificidade à formação do arquiteto, diferenciando-a da formação do engenheiro - e de contemplar as necessidades conjunturais que privilegiavam e solicitavam medidas urgentes a respeito da intervenção na cidade.

 Em dezembro de 1994 – considerando as recomendações resultantes de vários anos de debate nos seminários regionais e nacionais promovidos pelos cursos de arquitetura do país e pela Comissão de Especialistas no Ensino de Arquitetura e Urbanismo, CEAU/SESu – é publicada a Portaria 1770 que fixa as diretrizes curriculares e o conteúdo mínimo do curso de graduação em arquitetura e urbanismo. 

O edifício provido de instalações físicas específicas, o Atelier de Projeto1, foi construído para abrigar as atividades do CAU. Com as instalações físicas específicas em construção, o quadro de professores consolidado e um extenso currículo de atividades realizadas, o curso foi reconhecido em abril de 1979, através do Decreto Presidencial no 83.380 CFE.

Entre 1994 e 1996 foram realizadas algumas reuniões das áreas do Departamento de Arquitetura que resultaram em avaliações e propostas parciais. Esgotado o prazo previsto pela Portaria,  formou-se uma comissão composta de professores e alunos, que apresentou proposta de reformulação do Projeto Pedagógico do CAU, considerando a Portaria no 1770 de 21/12/94 do Ministério da Educação e Desporto e a Resolução 39/99 Consepe de 16/09/99. Essa proposta resultou em nova resolução - 16/2000 do Consepe - que passou a regulamentar o curso de Arquitetura e Urbanismo.

No ano de 2005 uma comissão de avaliação do plano pedagógico do curso formada por 7 professores, promoveu um conjunto de eventos envolvendo professores, alunos e funcionários para nova reformulação do curso. Esta ação desencadeou em uma proposta que não foi concretizada e em 2008 nova comissão foi formada para a reforma do curso, as discussões estenderam-se até o ano de 2010, quando a proposta foi submetida à aprovação das instâncias superiores – Conselho do Centro de Tecnologia e Pró-Reitoria de Graduação. A concepção atual do Projeto Pedagógico do curso de Arquitetura e Urbanismo tem como fundamentos normativos a Resolução Nº 2, de 17 de junho de 2010 da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação – MEC e na Resolução nº 07/2010 do CONSEPE da UFPB.